EQUIPE

DIRETORIA

JB como é chamado pelos amigos é um ecólogo com amplo interesse na conservação de sistemas socioecológicos tropicais. João tem trabalhado na Amazônia desde 2008, focando em conservação da biodiversidade, manejo de recursos naturais, áreas protegidas e manejo comunitário de recursos naturais. João encontrou sua felicidade profissional ao tentar entender como alinhar a conservação da biodiversidade e o bem-estar humano, e acredita que um destino sustentável para a Amazônia só será possível se a conservação garantir qualidade de vida para as comunidades locais.
JOÃO VITOR CAMPOS-SILVA
Presidente
JB como é chamado pelos amigos é um ecólogo com amplo interesse na conservação de sistemas socioecológicos tropicais. João tem trabalhado na Amazônia desde 2008, focando em conservação da biodiversidade, manejo de recursos naturais, áreas protegidas e manejo comunitário de recursos naturais. João encontrou sua felicidade profissional ao tentar entender como alinhar a conservação da biodiversidade e o bem-estar humano, e acredita que um destino sustentável para a Amazônia só será possível se a conservação garantir qualidade de vida para as comunidades locais.
JOÃO VITOR CAMPOS-SILVA
Presidente
Nascido em Belém, Carlos Peres é professor Ecologia Tropical de Conservação na University of East Anglia e estuda ecologia de comunidade de animais nas florestas amazônicas, a ecologia populacional das principais populações de recursos florestais tropicais e os critérios biológicos para projetar grandes reservas naturais. É co-diretor de quatro programas de pesquisa em ecologia e conservação nas florestas amazônicas, incluindo a ecologia dos principais recursos florestais madeireiros e não-madeireiros; padrões de estrutura de assembleias de vertebrados em florestas amazônicas; a dinâmica biológica de paisagens florestais perturbadas e fragmentadas, e as consequências para a biodiversidade da mudança do uso da terra. Ele publicou cerca de 400 artigos sobre ecologia e conservação de florestas neotropicais em diferentes escalas e recebeu vários prêmios internacionais, incluindo o "Líder Ambientalista do Novo Milênio" pela Time Magazine e pela rede CNN (2000).
CARLOS A. PERES
Vice-presidente
Nascido em Belém, Carlos Peres é professor Ecologia Tropical de Conservação na University of East Anglia e estuda ecologia de comunidade de animais nas florestas amazônicas, a ecologia populacional das principais populações de recursos florestais tropicais e os critérios biológicos para projetar grandes reservas naturais. É co-diretor de quatro programas de pesquisa em ecologia e conservação nas florestas amazônicas, incluindo a ecologia dos principais recursos florestais madeireiros e não-madeireiros; padrões de estrutura de assembleias de vertebrados em florestas amazônicas; a dinâmica biológica de paisagens florestais perturbadas e fragmentadas, e as consequências para a biodiversidade da mudança do uso da terra. Ele publicou cerca de 400 artigos sobre ecologia e conservação de florestas neotropicais em diferentes escalas e recebeu vários prêmios internacionais, incluindo o "Líder Ambientalista do Novo Milênio" pela Time Magazine e pela rede CNN (2000).
CARLOS A. PERES
Vice-presidente
Muitos pesquisadores chegam em uma nova área de estudo, desenvolvem seus projetos e vão embora logo após os dados serem coletados para talvez nunca mais voltarem. Quando chegou no Juruá em 2013, Hugo decidiu que não queria ir embora pois tinha construído ali laços muito fortes. A vontade de ficar e contribuir com o desenvolvimento da região a longo prazo era o terreno fértil para fundar o Instituto Juruá junto com os outros pesquisadores que já atuavam no Rio Juruá. Como diretor financeiro busca implementar ferramentas de gestão cada vez mais eficientes, desburocratizadas e transparentes.
HUGO C. M. COSTA
Diretor Financeiro
Muitos pesquisadores chegam em uma nova área de estudo, desenvolvem seus projetos e vão embora logo após os dados serem coletados para talvez nunca mais voltarem. Quando chegou no Juruá em 2013, Hugo decidiu que não queria ir embora pois tinha construído ali laços muito fortes. A vontade de ficar e contribuir com o desenvolvimento da região a longo prazo era o terreno fértil para fundar o Instituto Juruá junto com os outros pesquisadores que já atuavam no Rio Juruá. Como diretor financeiro busca implementar ferramentas de gestão cada vez mais eficientes, desburocratizadas e transparentes.
HUGO C. M. COSTA
Diretor Financeiro

EQUIPE TÉCNICA

JB como é chamado pelos amigos é um ecólogo com amplo interesse na conservação de sistemas socioecológicos tropicais. João tem trabalhado na Amazônia desde 2008, focando em conservação da biodiversidade, manejo de recursos naturais, áreas protegidas e manejo comunitário de recursos naturais. João encontrou sua felicidade profissional ao tentar entender como alinhar a conservação da biodiversidade e o bem-estar humano, e acredita que um destino sustentável para a Amazônia só será possível se a conservação garantir qualidade de vida para as comunidades locais.
JOÃO VITOR CAMPOS-SILVA
Coordenador Geral
JB como é chamado pelos amigos é um ecólogo com amplo interesse na conservação de sistemas socioecológicos tropicais. João tem trabalhado na Amazônia desde 2008, focando em conservação da biodiversidade, manejo de recursos naturais, áreas protegidas e manejo comunitário de recursos naturais. João encontrou sua felicidade profissional ao tentar entender como alinhar a conservação da biodiversidade e o bem-estar humano, e acredita que um destino sustentável para a Amazônia só será possível se a conservação garantir qualidade de vida para as comunidades locais.
JOÃO VITOR CAMPOS-SILVA
Coordenador Geral
Hugo Costa é biólogo, possui mestrado em Zoologia pelo Museu Paraense Emílio Goeldi, e atualmente é doutorando em Ecologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Atua há 13 anos e no médio Juruá desde 2013. Na coordenação de pesquisa científica, Hugo tem o papel de interlocução entre os pesquisadores associados e a equipe do Instituto Juruá para o desenvolvimento de pesquisas de ponta que possam subsidiar as ações de manejo dos recursos naturais pelas comunidades rurais.
HUGO C. M. COSTA
Coordenador de Pesquisa Científica
Hugo Costa é biólogo, possui mestrado em Zoologia pelo Museu Paraense Emílio Goeldi, e atualmente é doutorando em Ecologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Atua há 13 anos e no médio Juruá desde 2013. Na coordenação de pesquisa científica, Hugo tem o papel de interlocução entre os pesquisadores associados e a equipe do Instituto Juruá para o desenvolvimento de pesquisas de ponta que possam subsidiar as ações de manejo dos recursos naturais pelas comunidades rurais.
HUGO C. M. COSTA
Coordenador de Pesquisa Científica
Andressa Scabin é bióloga e tem mestrado e doutorado em Ecologia com ênfase em ecologia de florestas tropicais. Andressa atua na coordenação de projetos do Instituto Juruá desde 2021 e tem como objetivo apoiar iniciativas de manejo de base comunitária de recursos naturais. Além disso, tem fornecido apoio nas atividades de comunicação e na frente de educação que oferece cursos e atividades educativas para moradores locais do Médio Juruá. Andressa tem interesse também em desenvolver projetos relacionados ao estabelecimento de novas cadeias produtivas, agrofloresta e turismo científico.
ANDRESSA BÁRBARA SCABIN
Coordenadora de Área Protegida e Justiça Social
Andressa Scabin é bióloga e tem mestrado e doutorado em Ecologia com ênfase em ecologia de florestas tropicais. Andressa atua na coordenação de projetos do Instituto Juruá desde 2021 e tem como objetivo apoiar iniciativas de manejo de base comunitária de recursos naturais. Além disso, tem fornecido apoio nas atividades de comunicação e na frente de educação que oferece cursos e atividades educativas para moradores locais do Médio Juruá. Andressa tem interesse também em desenvolver projetos relacionados ao estabelecimento de novas cadeias produtivas, agrofloresta e turismo científico.
ANDRESSA BÁRBARA SCABIN
Coordenadora de Área Protegida e Justiça Social
Almira Silva é graduada em Tecnologia em Gestão Ambiental - UEA e Pós Graduada em Gestão e Educação - UNIASSELVI. Almira vem trabalhando por um longo tempo na defesa das comunidades rurais, protagonizando importantes projetos de sustentabilidade. Almira conhece todas as comunidades rurais no Médio Juruá e tem uma excelente relação com as lideranças e associações locais.
ALMIRA NASCIMENTO
Coordenadora Local
Almira Silva é graduada em Tecnologia em Gestão Ambiental - UEA e Pós Graduada em Gestão e Educação - UNIASSELVI. Almira vem trabalhando por um longo tempo na defesa das comunidades rurais, protagonizando importantes projetos de sustentabilidade. Almira conhece todas as comunidades rurais no Médio Juruá e tem uma excelente relação com as lideranças e associações locais.
ALMIRA NASCIMENTO
Coordenadora Local
Eduardo é Biólogo, com mestrado em Zoologia e Doutorado em Ecologia. Sua trajetória profissional foi desenvolvida principalmente na Amazônia, envolvendo pesquisas com sistemas ecológicos e sociais em unidades de conservação e terras indígenas. Coordenou por dez anos o Programa de Monitoramento e Uso de Fauna (PROMUF) do Instituto Piagaçu. Atuou na Fundação Pró-TAMAR em Fernando de Noronha, na Ilha da Trindade e no litoral do Espirito Santo e pelo Instituto Argonauta, no litoral norte de SP. Também é membro fundador da Aliança para a Conservação da Onça-pintada na Amazônia.
EDUARDO VON MÜHLEN
Coordenador de Gestào Territorial e Sociobioeconomia
Eduardo é Biólogo, com mestrado em Zoologia e Doutorado em Ecologia. Sua trajetória profissional foi desenvolvida principalmente na Amazônia, envolvendo pesquisas com sistemas ecológicos e sociais em unidades de conservação e terras indígenas. Coordenou por dez anos o Programa de Monitoramento e Uso de Fauna (PROMUF) do Instituto Piagaçu. Atuou na Fundação Pró-TAMAR em Fernando de Noronha, na Ilha da Trindade e no litoral do Espirito Santo e pelo Instituto Argonauta, no litoral norte de SP. Também é membro fundador da Aliança para a Conservação da Onça-pintada na Amazônia.
EDUARDO VON MÜHLEN
Coordenador de Gestào Territorial e Sociobioeconomia
Almir é morador da cidade de Carauari e possui uma vasta experiência na condução de expedições com nosso barco de pesquisa ao longo do rio Juruá. Ele é responsável por coordenar a logística das atividades de campo do Instituto Juruá, para garantir eficiência e segurança.
ALMIR ROGÉRIO NASCIMENTO
Responsável Logistico
Almir é morador da cidade de Carauari e possui uma vasta experiência na condução de expedições com nosso barco de pesquisa ao longo do rio Juruá. Ele é responsável por coordenar a logística das atividades de campo do Instituto Juruá, para garantir eficiência e segurança.
ALMIR ROGÉRIO NASCIMENTO
Responsável Logistico
Mestre em Desenvolvimento Urbano (UFPE) e técnica em Agroecologia e Desenvolvimento Rural (SERTA-PE), com graduações em Turismo e em Arquitetura & Urbanismo. Possui experiências nas áreas de Planejamento Territorial e Desenvolvimento Comunitário e atua há 5 anos com projetos socioecológicos, pesquisa aplicada e práxis agroecológica. Em Pernambuco cocriou a horta-jardim comunitária Jardim Secreto do Poço da Panela; no Espírito Santo cocriou e co-administrou a RUCA (Rede Urbana Capixaba de Agroecologia) e; no Amazonas está como analista socioambiental do Instituto Juruá.
NATHALIA MESSINA
Analista Socioambiental
Mestre em Desenvolvimento Urbano (UFPE) e técnica em Agroecologia e Desenvolvimento Rural (SERTA-PE), com graduações em Turismo e em Arquitetura & Urbanismo. Possui experiências nas áreas de Planejamento Territorial e Desenvolvimento Comunitário e atua há 5 anos com projetos socioecológicos, pesquisa aplicada e práxis agroecológica. Em Pernambuco cocriou a horta-jardim comunitária Jardim Secreto do Poço da Panela; no Espírito Santo cocriou e co-administrou a RUCA (Rede Urbana Capixaba de Agroecologia) e; no Amazonas está como analista socioambiental do Instituto Juruá.
NATHALIA MESSINA
Analista Socioambiental
Graduada em engenharia de pesca pela UFAM, com mestrado em biologia de água doce e pesca interior-BADPI/INPA. Atuou por 3 anos como engenheira de pesca/extensionista rural pelo IDAM na região do Alto Solimões apoiando no manejo participativo do pirarucu, professora de cursos sequenciais na área de tecnologia do pescado e piscicultura pelo CETAM e cursos de capacitação em pesca esportiva pela FAS além de experiência como analista de logística do projeto Cidades Florestais desenvolvido pelo IDESAM. Atua como especialista em manejo do pirarucu pelo Instituto Juruá com desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao pirarucu e apoio administrativo institucional.
SIMELVIA VIDA
Coordenadora de Educação e Treinamento
Graduada em engenharia de pesca pela UFAM, com mestrado em biologia de água doce e pesca interior-BADPI/INPA. Atuou por 3 anos como engenheira de pesca/extensionista rural pelo IDAM na região do Alto Solimões apoiando no manejo participativo do pirarucu, professora de cursos sequenciais na área de tecnologia do pescado e piscicultura pelo CETAM e cursos de capacitação em pesca esportiva pela FAS além de experiência como analista de logística do projeto Cidades Florestais desenvolvido pelo IDESAM. Atua como especialista em manejo do pirarucu pelo Instituto Juruá com desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao pirarucu e apoio administrativo institucional.
SIMELVIA VIDA
Coordenadora de Educação e Treinamento
Biólogo formado pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) (2021). Possui mestrado em Ciências Biológicas pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia de Água Doce e Pesca Interior (PPG BADPI) no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) (2023). Tem experiência em taxonomia, manejo e conservação de Pirarucu e tem desenvolvido pesquisas para entender as variações morfológicas da espécie na bacia amazônica. Atualmente é pesquisador e analista de manejo pesqueiro no Instituto Juruá, atuando na implementação e monitoramento de acordos de pesca no estado do Amazonas.
VALDENOR MAGALHÃES SILVA
Analista de Manejo Pesqueiro
Biólogo formado pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) (2021). Possui mestrado em Ciências Biológicas pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia de Água Doce e Pesca Interior (PPG BADPI) no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) (2023). Tem experiência em taxonomia, manejo e conservação de Pirarucu e tem desenvolvido pesquisas para entender as variações morfológicas da espécie na bacia amazônica. Atualmente é pesquisador e analista de manejo pesqueiro no Instituto Juruá, atuando na implementação e monitoramento de acordos de pesca no estado do Amazonas.
VALDENOR MAGALHÃES SILVA
Analista de Manejo Pesqueiro
Sarah Farias é economista (Universidade Federal do Amazonas, 2012) e analista orçamentária. Atua no controle, acompanhamento de saldos e tomadas de decisões durante todo processo de execução de projetos do terceiro setor. Trabalhou em esferas públicas governamentais (Superintendência da Zona Franca de Manaus, 2013), não governamentais e privadas (Instituto Mamirauá, Coordenação Indígena da Amazônia Brasileira, Fundo Indígena da Amazônia Brasileira e Fundação Rede Amazônica. Atualmente desenvolve trabalho de apoio gerencial financeiro ao Instituto Juruá- IJ.
SARAH FARIAS
Analista Administrativo Financeiro
Sarah Farias é economista (Universidade Federal do Amazonas, 2012) e analista orçamentária. Atua no controle, acompanhamento de saldos e tomadas de decisões durante todo processo de execução de projetos do terceiro setor. Trabalhou em esferas públicas governamentais (Superintendência da Zona Franca de Manaus, 2013), não governamentais e privadas (Instituto Mamirauá, Coordenação Indígena da Amazônia Brasileira, Fundo Indígena da Amazônia Brasileira e Fundação Rede Amazônica. Atualmente desenvolve trabalho de apoio gerencial financeiro ao Instituto Juruá- IJ.
SARAH FARIAS
Analista Administrativo Financeiro
Graduada em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas, Especialista em Gestão Pública Municipal e MBA em Gestão de Projetos. Possui expertise em gestão de projetos e trabalha há mais de 10 anos na área, atuando principalmente com a gestão pública e o terceiro setor. Atualmente é consultora de projetos e tem realizado diversas prestações de serviços para organizações públicas e o terceiro setor, trabalhando principalmente com a captação de recursos, elaboração de projetos, programas e propostas, gerenciamento de recursos, orçamento e prestação de contas.
KARINA PEIXOTO DE SOUZA
Analista Financeira
Graduada em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas, Especialista em Gestão Pública Municipal e MBA em Gestão de Projetos. Possui expertise em gestão de projetos e trabalha há mais de 10 anos na área, atuando principalmente com a gestão pública e o terceiro setor. Atualmente é consultora de projetos e tem realizado diversas prestações de serviços para organizações públicas e o terceiro setor, trabalhando principalmente com a captação de recursos, elaboração de projetos, programas e propostas, gerenciamento de recursos, orçamento e prestação de contas.
KARINA PEIXOTO DE SOUZA
Analista Financeira
Edimar é morador da comunidade Novo Horizonte, localizada na RESEX Médio Juruá. Possui curso técnico em Produção Sustentável em Unidade de Conservação e curso em Gestão em Tecnologias Sociais. No Instituto Juruá, Edimar atua na organização das contagens de pirarucu em diversos lagos e oferece cursos em metodologia de contagem e ferramentas de monitoramento de pirarucu.
EDIMAR COSTA
Técnico em Produção Sustentável
Edimar é morador da comunidade Novo Horizonte, localizada na RESEX Médio Juruá. Possui curso técnico em Produção Sustentável em Unidade de Conservação e curso em Gestão em Tecnologias Sociais. No Instituto Juruá, Edimar atua na organização das contagens de pirarucu em diversos lagos e oferece cursos em metodologia de contagem e ferramentas de monitoramento de pirarucu.
EDIMAR COSTA
Técnico em Produção Sustentável
Silas é grande líder comunitário e presidente da Associação de Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar da Região do Baixo Juruá do Lago Serrado (ARLBS), importante associação local. Silas também faz parte da nossa equipe, desempenhando um papel importante em nossas atividades devido à sua grande experiência como pescador e líder comunitário. Silas é responsável por nos ajudar a envolver as comunidades locais em acordos de pesca.
JOSÉ ALVES DE MORAES (SILAS)
Especialista em Manejo Comunitário
Silas é grande líder comunitário e presidente da Associação de Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar da Região do Baixo Juruá do Lago Serrado (ARLBS), importante associação local. Silas também faz parte da nossa equipe, desempenhando um papel importante em nossas atividades devido à sua grande experiência como pescador e líder comunitário. Silas é responsável por nos ajudar a envolver as comunidades locais em acordos de pesca.
JOSÉ ALVES DE MORAES (SILAS)
Especialista em Manejo Comunitário
Phamela é mulher, amazônida, nascida em Manaus. Possui formação em Ciências Biológicas, é mestre em Zoologia, ativista socioambiental. Possui experiência nas áreas de zoologia, conservação, educação socioambiental e comunicação pública de ciências. Já atuou como articuladora institucional promovendo parcerias em projetos e ações educativas sobre práticas sustentáveis, e para a promoção da justiça socioambiental nos territórios. Sua atuação é voltada para a educação socioambiental crítica e anticolonial, e enxerga no Instituto Juruá uma possibilidade de transformação.
PHAMELA BARBOSA COELHO
Educadora Socioambiental
Phamela é mulher, amazônida, nascida em Manaus. Possui formação em Ciências Biológicas, é mestre em Zoologia, ativista socioambiental. Possui experiência nas áreas de zoologia, conservação, educação socioambiental e comunicação pública de ciências. Já atuou como articuladora institucional promovendo parcerias em projetos e ações educativas sobre práticas sustentáveis, e para a promoção da justiça socioambiental nos territórios. Sua atuação é voltada para a educação socioambiental crítica e anticolonial, e enxerga no Instituto Juruá uma possibilidade de transformação.
PHAMELA BARBOSA COELHO
Educadora Socioambiental
Maria é moradora da comunidade São Raimundo, na Reserva Extrativista Médio Juruá. Ela tem 27 anos, é técnica de produção sustentável em unidades de conservação, agente ambiental voluntária e mediadora de leitura pela Associação Vagalume.
MARIA CUNHA
Comunicadora e educadora local
Maria é moradora da comunidade São Raimundo, na Reserva Extrativista Médio Juruá. Ela tem 27 anos, é técnica de produção sustentável em unidades de conservação, agente ambiental voluntária e mediadora de leitura pela Associação Vagalume.
MARIA CUNHA
Comunicadora e educadora local
Camila chegou na Amazônia em 2009 para fazer mestrado e nunca mais parou de trabalhar com essa magnífica floresta. Tem um interesse especial por entender os padrões de formação e a diversidade dos ambientes amazônicos, como áreas abertas e florestas sazonalmente alagáveis. Acredita no desenvolvimento científico como ferramenta para conservação e qualidade de vida nas comunidades.
CAMILA DUARTE RITTER
Pesquisadora
Camila chegou na Amazônia em 2009 para fazer mestrado e nunca mais parou de trabalhar com essa magnífica floresta. Tem um interesse especial por entender os padrões de formação e a diversidade dos ambientes amazônicos, como áreas abertas e florestas sazonalmente alagáveis. Acredita no desenvolvimento científico como ferramenta para conservação e qualidade de vida nas comunidades.
CAMILA DUARTE RITTER
Pesquisadora
Tonha é auxiliar de logística do Instituto Juruá e atualmente coordena as vendas dos produtos da lojinha do Instituto em Carauari. Desde 2013 vem atuando e colaborando com as iniciativas em prol do desenvolvimento comunitário no Médio Juruá. É símbolo do empoderamento feminino, sendo uma mulher habilitada para a contagem de pirarucu manejando, em uma atividade representada em sua maioria por homens. Além disso, participa ativamente de expedições de pesquisas diversas que visam trazer soluções para o território do Médio Juruá.
RAIMUNDA ANTÓNIA GOMES DE SOUZA
Auxiliar Logistico e Gestora de Loja IJ Carauari
Tonha é auxiliar de logística do Instituto Juruá e atualmente coordena as vendas dos produtos da lojinha do Instituto em Carauari. Desde 2013 vem atuando e colaborando com as iniciativas em prol do desenvolvimento comunitário no Médio Juruá. É símbolo do empoderamento feminino, sendo uma mulher habilitada para a contagem de pirarucu manejando, em uma atividade representada em sua maioria por homens. Além disso, participa ativamente de expedições de pesquisas diversas que visam trazer soluções para o território do Médio Juruá.
RAIMUNDA ANTÓNIA GOMES DE SOUZA
Auxiliar Logistico e Gestora de Loja IJ Carauari
Maria Julia Ferreira é Engenheira Florestal (UNESP), mestre em Botânica (INPA) e doutora em Etnobiologia e Conservação da Natureza (UFRPE). Seu principal interesse de pesquisa, ao longo de sua trajetória profissional, tem sido entender o papel de comunidades e povos tradicionais na conservação de ecossistemas e de diferentes recursos naturais. Atualmente desenvolve com o Instituto Juruá um pós-doutorado, focado na bioeconomia de produtos manejados pelas comunidades do médio Juruá, em ecossistemas terrestres e aquáticos.
MARIA JULIA FERREIRA
Pesquisadora em Conservação de Base Comunitária e Manejo de Recursos Naturais
Maria Julia Ferreira é Engenheira Florestal (UNESP), mestre em Botânica (INPA) e doutora em Etnobiologia e Conservação da Natureza (UFRPE). Seu principal interesse de pesquisa, ao longo de sua trajetória profissional, tem sido entender o papel de comunidades e povos tradicionais na conservação de ecossistemas e de diferentes recursos naturais. Atualmente desenvolve com o Instituto Juruá um pós-doutorado, focado na bioeconomia de produtos manejados pelas comunidades do médio Juruá, em ecossistemas terrestres e aquáticos.
MARIA JULIA FERREIRA
Pesquisadora em Conservação de Base Comunitária e Manejo de Recursos Naturais
Raphael Chicayban é formado em publicidade e propaganda e tem pós-graduação em cinema. Atua no mercado de comunicação há 10 anos, com especialização em planejamento criativo, coordenação de projetos e produção de filmes. No Instituto Juruá, Raphael trabalha com planejamento criativo e gestão de redes sociais. Raphael acredita que a boa comunicação depende de um forte senso de comunidade, base para relações sólidas, fraternas e profundas.
RAPHAEL CHICAYBAN
Comunicador Institucional
Raphael Chicayban é formado em publicidade e propaganda e tem pós-graduação em cinema. Atua no mercado de comunicação há 10 anos, com especialização em planejamento criativo, coordenação de projetos e produção de filmes. No Instituto Juruá, Raphael trabalha com planejamento criativo e gestão de redes sociais. Raphael acredita que a boa comunicação depende de um forte senso de comunidade, base para relações sólidas, fraternas e profundas.
RAPHAEL CHICAYBAN
Comunicador Institucional
Nascida em Manaus. Graduada em Administração pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Possui experiência na área administrativa, financeira e compras. Trabalhou em esferas públicas governamentais, não governamentais e privadas. Sua atuação é voltada para área administrativa.
Tatiane Cunha
Assistente Administrativo Financeiro
Nascida em Manaus. Graduada em Administração pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Possui experiência na área administrativa, financeira e compras. Trabalhou em esferas públicas governamentais, não governamentais e privadas. Sua atuação é voltada para área administrativa.
Tatiane Cunha
Assistente Administrativo Financeiro
Nascido e criado às margens do rio Juruá, vindo de uma comunidade ribeirinha, é munícipe da cidade de Itamarati. Já atuou com as juventudes de sua cidade e foi assessor regional da pastoral da juventude, no setor 2 da Prelazia de Tefé que abrange Itamarati e Carauari. Atualmente é Agente de Pastoral na Prelazia de Tefé. É indigenista do CIMI, na Regional Norte 1, atuando nas causas indígenas e sociais. Pai de família, marido e amigo dos que buscam sua amizade.
Raimundo Francisco de Souza Silva (Manuel)
Articulador Local
Nascido e criado às margens do rio Juruá, vindo de uma comunidade ribeirinha, é munícipe da cidade de Itamarati. Já atuou com as juventudes de sua cidade e foi assessor regional da pastoral da juventude, no setor 2 da Prelazia de Tefé que abrange Itamarati e Carauari. Atualmente é Agente de Pastoral na Prelazia de Tefé. É indigenista do CIMI, na Regional Norte 1, atuando nas causas indígenas e sociais. Pai de família, marido e amigo dos que buscam sua amizade.
Raimundo Francisco de Souza Silva (Manuel)
Articulador Local
Fernanda Araújo de Moraes é moradora da comunidade Lago Serrado, Técnica em Administração pelo CETAM e graduanda em Tecnologia em Gestão Ambiental pela UFAM. Está no segundo mandato na presidência da Associação dos Moradores Agroextrativista do Baixo Médio Juruá - AMAB. Coordena a cadeia do Pirarucu manejado na área do acordo de pesca na região do Baixo Médio Juruá, levando melhoria da qualidade de vida, através da geração de renda e inclusão das famílias nessa cadeia tão promissora e com isso contribuindo para a preservação do Meio Ambiente. Fernanda atualmente está participando do curso de Formação de Liderança do Médio Juruá e se uniu recentemente a equipe do Instituto Juruá para realizar a Gestão de uma Área Protegida de Base Comunitária que está sendo desenvolvida dentro da área de atuação da AMAB.
FERNANDA ARAÚJO DE MORAES
Gestora de Área Protegida de Base Comunitária
Fernanda Araújo de Moraes é moradora da comunidade Lago Serrado, Técnica em Administração pelo CETAM e graduanda em Tecnologia em Gestão Ambiental pela UFAM. Está no segundo mandato na presidência da Associação dos Moradores Agroextrativista do Baixo Médio Juruá - AMAB. Coordena a cadeia do Pirarucu manejado na área do acordo de pesca na região do Baixo Médio Juruá, levando melhoria da qualidade de vida, através da geração de renda e inclusão das famílias nessa cadeia tão promissora e com isso contribuindo para a preservação do Meio Ambiente. Fernanda atualmente está participando do curso de Formação de Liderança do Médio Juruá e se uniu recentemente a equipe do Instituto Juruá para realizar a Gestão de uma Área Protegida de Base Comunitária que está sendo desenvolvida dentro da área de atuação da AMAB.
FERNANDA ARAÚJO DE MORAES
Gestora de Área Protegida de Base Comunitária

PESQUISADORES

Andressa Scabin é bióloga e tem mestrado e doutorado em ecologia com ênfase em ecologia de florestas tropicais. Andressa vem atuando na Amazônia desde 2007, com interesse em entender como as atividades humanas impactam as florestas tropicais. Iniciou suas atividades no Projeto Médio Juruá em 2016, através de sua pesquisa de doutorado que investigou os efeitos da caça de animais silvestres na comunidade de vertebrados, na dinâmica florestal e estoques de carbono. Atualmente tem apoiado pesquisas científicas de diferentes áreas do conhecimento tanto em ambientes terrestres quanto aquáticos.
ANDRESSA BÁRBARA SCABIN
Pesquisadora em Ecologia de Florestas Tropicais e Fauna Silvestre
Andressa Scabin é bióloga e tem mestrado e doutorado em ecologia com ênfase em ecologia de florestas tropicais. Andressa vem atuando na Amazônia desde 2007, com interesse em entender como as atividades humanas impactam as florestas tropicais. Iniciou suas atividades no Projeto Médio Juruá em 2016, através de sua pesquisa de doutorado que investigou os efeitos da caça de animais silvestres na comunidade de vertebrados, na dinâmica florestal e estoques de carbono. Atualmente tem apoiado pesquisas científicas de diferentes áreas do conhecimento tanto em ambientes terrestres quanto aquáticos.
ANDRESSA BÁRBARA SCABIN
Pesquisadora em Ecologia de Florestas Tropicais e Fauna Silvestre
Camila e bióloga, formada pela UFSM (2009), com interesse em questões ecológicas e como entender os padrões de diversidada Amazônia. Fez mestrado no INPA (2011) trabalhando com o impacto de queimadas em florestas sazonalmente inundadas, igapós. Fez seu doutorado na Universidade de Gotemburgo, Suécia (2018), investigando a diversidade da Amazônia com DNA ambiental. Fez pós-dourado na Universidade de Duisburg-Essen (2021), Alemanha, com redes ecológicas de co-ocorrência com dados de DNA ambiental. Atualmente é pesquisadora do Instituto Juruá.
CAMILA DUARTE RITTER
Pesquisadora em Ecologia Tropical
Camila e bióloga, formada pela UFSM (2009), com interesse em questões ecológicas e como entender os padrões de diversidada Amazônia. Fez mestrado no INPA (2011) trabalhando com o impacto de queimadas em florestas sazonalmente inundadas, igapós. Fez seu doutorado na Universidade de Gotemburgo, Suécia (2018), investigando a diversidade da Amazônia com DNA ambiental. Fez pós-dourado na Universidade de Duisburg-Essen (2021), Alemanha, com redes ecológicas de co-ocorrência com dados de DNA ambiental. Atualmente é pesquisadora do Instituto Juruá.
CAMILA DUARTE RITTER
Pesquisadora em Ecologia Tropical
Nascido em Belém, Carlos Peres é professor Ecologia Tropical de Conservação na University of East Anglia e estuda ecologia de comunidade de animais nas florestas amazônicas, a ecologia populacional das principais populações de recursos florestais tropicais e os critérios biológicos para projetar grandes reservas naturais. É co-diretor de quatro programas de pesquisa em ecologia e conservação nas florestas amazônicas, incluindo a ecologia dos principais recursos florestais madeireiros e não-madeireiros; padrões de estrutura de assembleias de vertebrados em florestas amazônicas; a dinâmica biológica de paisagens florestais perturbadas e fragmentadas, e as consequências para a biodiversidade da mudança do uso da terra. Ele publicou cerca de 400 artigos sobre ecologia e conservação de florestas neotropicais em diferentes escalas e recebeu vários prêmios internacionais, incluindo o "Líder Ambientalista do Novo Milênio" pela Time Magazine e pela rede CNN (2000).
CARLOS A. PERES
Pesquisador em Ecologia Tropical
Nascido em Belém, Carlos Peres é professor Ecologia Tropical de Conservação na University of East Anglia e estuda ecologia de comunidade de animais nas florestas amazônicas, a ecologia populacional das principais populações de recursos florestais tropicais e os critérios biológicos para projetar grandes reservas naturais. É co-diretor de quatro programas de pesquisa em ecologia e conservação nas florestas amazônicas, incluindo a ecologia dos principais recursos florestais madeireiros e não-madeireiros; padrões de estrutura de assembleias de vertebrados em florestas amazônicas; a dinâmica biológica de paisagens florestais perturbadas e fragmentadas, e as consequências para a biodiversidade da mudança do uso da terra. Ele publicou cerca de 400 artigos sobre ecologia e conservação de florestas neotropicais em diferentes escalas e recebeu vários prêmios internacionais, incluindo o "Líder Ambientalista do Novo Milênio" pela Time Magazine e pela rede CNN (2000).
CARLOS A. PERES
Pesquisador em Ecologia Tropical
Clara Machado é bióloga, possui mestrado em Botânica pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Seus esforços científicos envolvem segurança alimentar e valorização de alimentos tradicionais como ferramentas para alcançar desenvolvimento social e sustentável em comunidades rurais. A Clara tem apoiado pesquisas científicas em etnobotânica, questões de gênero e educação.
CLARA MACHADO
Pesquisadora em Etnobotânica e Educação
Clara Machado é bióloga, possui mestrado em Botânica pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Seus esforços científicos envolvem segurança alimentar e valorização de alimentos tradicionais como ferramentas para alcançar desenvolvimento social e sustentável em comunidades rurais. A Clara tem apoiado pesquisas científicas em etnobotânica, questões de gênero e educação.
CLARA MACHADO
Pesquisadora em Etnobotânica e Educação
Eduardo é Biólogo, com mestrado em Zoologia e Doutorado em Ecologia. Sua trajetória profissional foi desenvolvida principalmente na Amazônia, envolvendo pesquisas com sistemas ecológicos e sociais em unidades de conservação e terras indígenas. Coordenou por dez anos o Programa de Monitoramento e Uso de Fauna (PROMUF) do Instituto Piagaçu. Atuou na Fundação Pró-TAMAR em Fernando de Noronha, na Ilha da Trindade e no litoral do Espirito Santo e pelo Instituto Argonauta, no litoral norte de SP. Também é membro fundador da Aliança para a Conservação da Onça-pintada na Amazônia.
EDUARDO VON MÜHLEN
Pesquisador em Conservação de Base Comunitária e Fauna Silvestre
Eduardo é Biólogo, com mestrado em Zoologia e Doutorado em Ecologia. Sua trajetória profissional foi desenvolvida principalmente na Amazônia, envolvendo pesquisas com sistemas ecológicos e sociais em unidades de conservação e terras indígenas. Coordenou por dez anos o Programa de Monitoramento e Uso de Fauna (PROMUF) do Instituto Piagaçu. Atuou na Fundação Pró-TAMAR em Fernando de Noronha, na Ilha da Trindade e no litoral do Espirito Santo e pelo Instituto Argonauta, no litoral norte de SP. Também é membro fundador da Aliança para a Conservação da Onça-pintada na Amazônia.
EDUARDO VON MÜHLEN
Pesquisador em Conservação de Base Comunitária e Fauna Silvestre
Hugo Costa é biólogo, possui mestrado em Zoologia pelo Museu Paraense Emílio Goeldi, e atualmente é doutorando em Ecologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Seu principal interesse de pesquisa é a ecologia do movimento de vertebrados em diferentes cenários de uso da terra e pressões antropogênicas. Também tem interesse em modelagem de distribuição de espécies e sensoriamento remoto.
HUGO C. M. COSTA
Pesquisador em Ecologia Espacial
Hugo Costa é biólogo, possui mestrado em Zoologia pelo Museu Paraense Emílio Goeldi, e atualmente é doutorando em Ecologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Seu principal interesse de pesquisa é a ecologia do movimento de vertebrados em diferentes cenários de uso da terra e pressões antropogênicas. Também tem interesse em modelagem de distribuição de espécies e sensoriamento remoto.
HUGO C. M. COSTA
Pesquisador em Ecologia Espacial
João tem um interesse amplo de pesquisa. Suas pesquisas incluem ecologia de vertebrados, serviços ecossistêmicos, áreas protegidas, conservação de base comunitária, populações tradicionais, caça, pesca e dimensões humanas da conservação. João é pesquisador associado da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), onde orienta alunos de mestrado e doutorado.
JOÃO VITOR CAMPOS-SILVA
Pesquisador em Conservação de Base Comunitária e Pesca
João tem um interesse amplo de pesquisa. Suas pesquisas incluem ecologia de vertebrados, serviços ecossistêmicos, áreas protegidas, conservação de base comunitária, populações tradicionais, caça, pesca e dimensões humanas da conservação. João é pesquisador associado da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), onde orienta alunos de mestrado e doutorado.
JOÃO VITOR CAMPOS-SILVA
Pesquisador em Conservação de Base Comunitária e Pesca
Joseph é ecólogo das florestas tropicais, com interesses nas consequências da perturbação humana e a sustentabilidade do uso dos recursos naturais. Ele tem mestrado e doutorado na University of East Anglia e atualmente é pesquisador de pós-doutorado na Norwegian University of Life Sciences. Suas pesquisas incluem monitoramento da biodiversidade, inventários florestais e estoques de carbono, características de frutos e redes de interação plantas-animais, comportamento animal e ecologia alimentar, e o uso sustentável e gestão comunitária de recursos naturais e serviços ecossistêmicos.
JOSEPH E. HAWES
Pesquisador em Ecologia Tropical
Joseph é ecólogo das florestas tropicais, com interesses nas consequências da perturbação humana e a sustentabilidade do uso dos recursos naturais. Ele tem mestrado e doutorado na University of East Anglia e atualmente é pesquisador de pós-doutorado na Norwegian University of Life Sciences. Suas pesquisas incluem monitoramento da biodiversidade, inventários florestais e estoques de carbono, características de frutos e redes de interação plantas-animais, comportamento animal e ecologia alimentar, e o uso sustentável e gestão comunitária de recursos naturais e serviços ecossistêmicos.
JOSEPH E. HAWES
Pesquisador em Ecologia Tropical